Dicas

Qual disjuntor usar para tomadas?

Existem vários modelos de disjuntores elétricos, cada um com sua apropriada função. Eles são aparelhos fundamentais para instalação elétrica. Por isso, vamos ensinar qual disjuntor usar para tomadas, os tipos de disjuntores, as características dos disjuntores e quando utilizar disjuntor unipolar e bipolar. Confira!

O que é disjuntor?

É um dispositivo de suporte e proteção que no decorrer das instalações precisa ser inserido. Ele também pode ser estabelecido como uma chave-elétrica que preserva os circuitos elétricos das instalações, desarmando assim que detecta sobrecarga ou correntes de curto-circuito, sendo primordial para escapar de acidentes.

Para que serve o disjuntor?

Ele protege somente do curto-circuito e circuito contra sobrecarga, portanto, não protege as pessoas contra choques elétricos e nem os equipamentos contra oscilação elétrica.

Ele acaba sendo o equipamento mais identificado nas instalações, normalmente são instalados nos quadros de distribuição e no medidor de energia concedido pela concessionária, para efetuar a proteção dos seus próprios circuitos.

Quais os tipos de disjuntores existem?

Existem variados modelos e tipos de disjuntores, cada um diversifica a sua configuração conforme sua aplicação, por exemplo, a tensão de operação e as cargas que serão ligadas a eles. Vejamos abaixo!

Disjuntor monopolar

Usado em circuitos e instalações que têm somente fase única, por exemplo, tomadas em sistemas monofásicos fase/neutro e circuitos de iluminação, seja com fase 127V ou 220V.

Disjuntor bipolar

Ele é ajustado para instalação ou circuitos com duas fases, como circuitos com ferro elétrico, torneiras elétricas ou chuveiros.

Disjuntor tripolar

Adequado para circuitos ou instalações com três fases, por exemplo, motores elétricos trifásicos.

Disjuntor magnético

Encontra-se disjuntores magnéticos que também tem a atribuição de proteger os aparelhos elétricos contra curtos-circuitos e sobrecargas, porém possuem uma grande exatidão.

Disjuntor térmico

Eles interceptam o circuito elétrico em consequência da identificação de um grande aumento térmico, que esteja fora do padrão. Esse modelo de disjuntor é muito usado como alerta contra incêndios.

Disjuntores termomagnéticos

É a junção da proteção magnética e térmica, sendo muito consumida nas instalações elétricas comerciais e residenciais. Os benefícios dele é que pode ser utilizado para proteção contra aquecimentos, manobras de ligar e desligar os circuitos, sobrecargas e curtos circuitos. Agora está clareando sobre qual disjuntor usar para tomadas? Então vamos continuar!

Quais as curvas de disparo do disjuntor termomagnético?

Elas são fragmentadas em três classes, assim, as curvas de disjuntores são B, C e D, advertindo que pela corrente ser mensurada em ampere (A), não há curva característica com letra A.

Curva B

A curva de ruptura B para um disjuntor estabelece que a sua corrente seja dividida e o circuito seja englobado entre 3 a 5 vezes a sua corrente nominal. Um disjuntor de 10A na curva B deve agir quando sua corrente máxima alcançar entre 30A a 50A.

Curva C

A curva de interrupção C para o disjuntor determina que a corrente de divisão esteja entre 5 a 10 vezes a corrente nominal. Um disjuntor de 10A na curva C deve agir quando a sua corrente alcançar entre 50A a 100A.

Curva D

Enquanto a curva de ruptura D para o disjuntor estabelece que a corrente que precisa para abrir o circuito seja entre 10 a 20 vezes superior que a corrente nominal. Assim, o disjuntor de 10A na curva D necessita operar quando a sua corrente alcança entre 100A a 200A.Por fim, agora você já sabe qual disjuntor usar para tomadas escolher para um uso seguro e eficaz e seu apartamento ou casa. Basta iniciar os serviços e usufruir do conforto de instalação estar adequado com as normas de segurança. Você também pode contratar o serviço de um especialista do ramo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *